sexta-feira, abril 08, 2011

EICEL. Programa de Acção 2011-2014 (apresentação)

Levantamento arquitectónico da fábrica de briquetes da mina do Espadanal. Desenho n.º 11. Nuno Alexandre Rocha. Arq.

Após a criação da EICEL, a 29 de Novembro de 2010, e na sequência da eleição dos primeiros corpos dirigentes, em Assembleia-Geral realizada a 15 de Janeiro do corrente ano, foi aprovado por unanimidade o Programa de Acção desta associação de defesa do património para o quadriénio 2011-2014.

O documento aprovado estabelece como objectivo o desenvolvimento coerente do Processo de estudo e salvaguarda do património mineiro do concelho de Rio Maior dando sequência aos estudos consolidados na Dissertação de Mestrado “Couto Mineiro do Espadanal (Rio Maior). História, Património, Identidade” submetida pelo Presidente da Direcção, arquitecto Nuno Rocha, ao Instituto de História da Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, na qual se produz uma leitura detalhada da história e do universo patrimonial subsistente, seu estado de conservação e potencialidade de reutilização apresentando propostas para a sua reintegração na vivência urbana da nossa cidade.

Criada e desenvolvida, nos últimos cinco anos, uma ampla consciência cívica do valor da história e do património mineiro riomaiorense, reunida a antiga comunidade mineira em torno de um projecto de recuperação, bem como obtido o seu reconhecimento pela comunidade científica, importa estabelecer no terreno uma metodologia sustentada de intervenção. Analisado o elevado investimento necessário à implementação de uma solução de restauro global, numa época marcada por notórias dificuldades de financiamento e em final de ciclo dos Quadros Comunitários de Apoio, verifica-se a improbabilidade, no curto prazo, de uma recuperação executada unicamente a expensas do Município.

Neste contexto, a EICEL apresenta uma proposta de intervenção faseada, numa estreita cooperação entre a autarquia, o movimento associativo, instituições de ensino superior e entidades privadas vocacionadas para o apoio a projectos culturais no âmbito do mecenato.

Tendo como objectivo a divulgação das propostas da EICEL à comunidade e a promoção de um debate profícuo sobre as soluções apresentadas – abertas a uma desejável valorização através do contributo dos riomaiorenses – terá início no próximo número do Região de Rio Maior a publicação semanal do Programa de Acção.
























Levantamento arquitectónico da fábrica de briquetes da mina do Espadanal. Desenho n.º 6. Nuno Alexandre Rocha. Arq.


(Continua no próximo número do Região de Rio Maior)

In Região de Rio Maior nº1173, de 1 de Abril de 2011

1 comentário:

vitor disse...

Para os tempos de crise energetica talvez nao fosse ma ideia, voltar a explorar o inesgotavel filao de lenhite e diatomite existentes nestas minas, onde trabalhei em 1965, tinha 16 anos de idade.

vitorcenturioalmeida